Deus no cotidiano: eleições

10/6/2018

 

 

No Brasil a cada quatro anos a gente se envolve com dois eventos: O primeiro, a copa, um evento mundial, que nos enche de sonhos e esperança, é uma festa. No meu último texto [link: https://www.mpcbrasilia.com.br/single-post/2018/07/20/Deus-no-cotidiano-O-Jogo] falei um pouco sobre ele; O segundo evento é um nacional e mais sério, mas ainda assim mexe muito com nosso sonho e esperança, eu falo das eleições e vamos falar mais dela aqui nesse texto. Como pensar em Deus deve me fazer pensar a política e as eleições (não, esse texto não é pra discutir candidatos, relaxa) e como pensar em política e nas eleições me faz compreender mais um pouco sobre Deus?

 

O fenômeno das Eleições

Primeiro, vamos ver o que rola geralmente, sempre vejo um novo interesse por pensar e discutir um monte de coisa, quase tudo! Pessoas, tipo eu, que por quatro anos não se importaram muito com as notícias da política – se bem que nesses últimos anos foi difícil não se importar – agora querem debater, o assunto fica comum nas nossas conversas, perguntas do tipo “em quem você vai votar” seguidas de comentários sobre a resposta estão nas nossas conversas. Mais que só criticar isso, eu quero falar um pouco aqui porque que rola essas coisas, por que do nada isso tudo se torna importante?


Eu tenho 23 anos, sou novo ainda e não sou quem mais entende de política, mas mesmo assim eu já consegui ver algumas eleições, por isso posso dizer que sempre duas coisas se percebem em maior ou menor grau: descontentamento e esperança e as duas tem o poder de motivar a gente. A primeira, o descontentamento com a situação do país e com os escândalos que vira e mexe surgem – e sabemos que esses esquemas não são novidade, ou coisa de apenas um partido –. A segunda, a esperança ainda que as vezes escondida pelas decepções. Esperança de que talvez o próximo vai governar do jeito que achamos o melhor e vai corrigir os problemas que mais nos incomodam. É por essas coisas que mesmo que a gente não saiba em quem votar, vai manifestar o que acha que são os mais graves problemas e o que acha ser a melhor forma de resolvê-los.


O nosso sistema político

Agora falando um pouco do nosso sistema político, a gente vive em uma democracia representativa, isso significa que a gente não participa de forma direta de todas as decisões, mas elege representantes que vão tomar essas decisões. A ideia é mais ou menos a de que a quantidade de deputados a favor de um assunto seja uma representação da parcela da população que também é a favor deste assunto. Claro que na prática não funciona bem assim por um monte de razões. Mas o que importa deixar claro aqui é que o sistema se propõe a responder à esperança e ao descontentamento da gente, transformar isso em representação política e mais uma vez transformar isso em decisões.

 

Política e o pecado

E por que eu falei isso tudo? O que isso tem a ver com Deus? Primeiro isso tem a ver com a gente, criação de Deus, e de certa forma sempre revelamos algo do Criador, pelo menos em partes. Além disso o sistema ser meio zoado não é só porque os políticos são corruptos, mas é também por que os eleitores os quais eles representam também o são – com eleitores falo de mim e de você também, calma você vai sacar o que estou querendo falar –, quando falo de corrupção não falo só dos esquemas de desvio de dinheiro, ou dos votos sendo comprados, isso com certeza mostra a corrupção humana, mas ela é bem mais profunda, desejamos nós mesmos – isso eu e você – saber o que é o mal e o que é o bem. Desejamos ter uma moral independente de Deus e a gente caiu na escravidão dos nossos próprios desejos. Longe de Deus a nossa moral é corrompida, isso quer dizer que a gente não consegue ver de forma clara o que é o errado e o que é o certo, ou seja, a gente quer mudanças, mas elas são baseadas em uma moral distorcida, nem o nosso descontentamento é justo, nem a nossa esperança é justa, nada é firmado em Deus. Nossas vontades já pecaminosas são distorcidas pelos nossos representantes, também pecaminosos, e o sistema que foi antes concebido por outros pecadores só piora tudo.

 

O ponto aqui não é te deixar sem esperanças, ou dizer que já que todo mundo é pecador tanto faz em quem votar, ou dizer que tem que ser em um Cristão. Deus é cheio de graça e misericórdia e conforme a sua vontade capacita os seres humanos, assim como pode haver um médico não cristão competente, pode haver um político não cristão competente. Meu ponto é estabelecer aqui que do mesmo jeito que Jesus é a resposta pra corrupção que há em mim e em você, Ele também é resposta para o Brasil, a gente tem mesmo que pesquisar as propostas dos candidatos e tem que votar conscientemente, mas também tem que clamar para que Deus aja com misericórdia e graça sobre a vida de cada um que for eleito. Temos que avaliar conforme a bíblia os nossos descontentamentos e nossas esperanças. Sobretudo temos que colocar nossa esperança em Cristo e não em promessas de homens. Descontentamento humano e a Justiça de Deus.

 

Deus é justo e como a gente pode ver Ele nisso tudo? O descontentamento, o clamor do povo por justiça e as leis que julgam os casos de corrupção mostram que, ainda que tenha sido corrompida, ainda existe a imagem de Deus nos homens pecadores. Deus fez a gente com algumas de suas características entre elas está a justiça. Nós, mesmo pecadores, ainda queremos alguma forma de justiça, nós exigimos ela muitas vezes. A verdade é que é pela misericórdia de Deus que nenhum homem é tão mau quanto poderia ser e, por isso, mesmo entre os grupos que consideramos mais errados ainda existe algum tipo de código, um conjunto de regras, que eles respeitam, ainda existe algum limite que eles não ultrapassam e eles vão querer justiça caso alguém o faça. Nisso tudo vemos a misericórdia de Deus, nosso país pode estar em crise, mas se Deus retirasse de vez nosso senso de justiça e nos entregasse totalmente aos nossos maus desejos estaria muito pior.


O fato de nós pecadores clamarmos por justiça mostra que Deus de quem vem a nossa justiça é infinitamente mais justo e anseia por justiça. Se a gente quer que os corruptos sejam punidos, é muito mais justo que Deus revele sua santa ira contra a gente que é corrompido por natureza. Todo nosso desejo por justiça e descontentamento com o estado atual da sociedade confirma que a ira de Deus contra nós é justa. A gente se revolta quando os políticos que nos representam não fazem o que deveriam, só que a gente não percebe que desde Adão nós cometemos o mesmo erro, isto é, Deus nos elegeu para representá-lo diante de tudo que criou. A gente deveria mostrar Seu amor, Sua bondade, Sua santidade, Sua justiça (e tudo que mais que ele compartilhou com a gente) para o resto da criação. Ele nos deu o governo sobre toda sua criação para que nós o glorificássemos ao governar sobre as demais coisas criadas, mas nós fomos corruptos. Corrompemos a imagem dEle que há em nós e passamos a usar das coisas criadas apenas para o nosso prazer, afastados de Deus, em vez de usa-las para nos relacionar com Ele.

 

A nossa esperança e a misericórdia de Deus

Se o nosso descontentamento fala da justiça de Deus, nossa esperança nos fala da sua misericórdia, ainda
podemos ter esperança porque Deus ainda não exerceu seu juízo final sobre a gente. Temos esperança porque Deus nos criou – isso eu e você – para viver eternamente com Ele e isso pode satisfazer toda nossa necessidade. Mas é verdade que pecamos e fomos privados dessa vida, a gente vê isso quando mesmo longe de Deus não colocamos nossa esperança em retornar a Ele, mas em um monte de ideologias que a gente mesmo criou. A nossa rebeldia contra Deus é revelada na nossa esperança. Mas Deus nos permite ter esperança porque Ele mesmo preparou um caminho para que a gente voltasse para Ele, Jesus, seu próprio Filho. Jesus é a verdadeira e única esperança, pois sendo Deus, veio ao mundo como homem para representar a gente diante de Deus, nesse momento tomou sobre si os nossos pecados e com eles a ira de Deus. Jesus foi julgado pela nossa corrupção e foi condenado por Deus, o próprio Pai condenou Seu Filho à pena máxima numa cruz, não foi apenas pena de morte, mas de receber a ira que Deus tinha destinado para mim e para você. Mas a morte não o segurou, Deus ressuscitou Cristo dos mortos e o colocou à sua direita em um trono pra que hoje todo aquele que confia em Cristo e põe nEle a sua esperança possa ser considerado justo e eleito para reinar com Cristo na eternidade.


O nosso representante

A verdade é que a bíblia propõe em romanos 5 que a gente pode ser representados diante de Deus por dois
homens: o primeiro é Adão, aquele de quem nós herdamos nosso pecado, nossa rebeldia contra Deus, a ira de Deus e a morte; o segundo é Jesus, aquele que nos oferece graça, perdão de pecados, justificação diante de Deus e vida eterna. A gente precisa pensar e escolher bem quem vai nos representar a frente do nosso país, mas a gente precisa mais ainda e com mais urgência decidir quem vai nos representar diante de Deus. Hoje a gente vive a consequência de maus representantes que já governaram o Brasil, no entanto, pela Sua misericórdia a gente ainda não vive totalmente o resultado de ser representado por nossos pecados diante de Deus. Hoje a gente acredita que em alguns países se tem vida boa por causa de seus bons governantes, mas nada nesta vida se compara com a vida que está reservada para os que são representados diante de Deus por Cristo Jesus. E aí? “Em quem você vai votar?”

 

 

 

 

 

 

 

 

Edrysson Rocha

Seguidor de Jesus, formado engenharia mecatrônica, interessado em jogos eletrônicos, ator nas horas vagas e facinado pela graça de Cristo e viver ela com outras pessoas.

 

Please reload

November 26, 2018

Please reload

POSTS RECENTES